Sobre o Blog


Bem-vindos ao Shakespeare de Batom


Antes de tudo, já vou logo avisando: não pretendo ser guru de beleza da internet, muito menos filósofa contemporânea. 


O blog surgiu graças a minha própria personalidade. Explicando, sou muito vaidosa (muito mesmo!), adoro marcas luxuosas, fico louca quando sai uma nova cor de batom da MAC, já testei todas as receitas de máscaras caseiras para o cabelo, a penteadeira do meu quarto é meu "bem" mais precioso, adoro cor de rosa e amo fazer compras. Por outro lado, sou super filosófica, fico louca quando sai um novo filme do Woody Allen, já virei a noite fazendo cenário para peça de teatro, a biblioteca do meu quarto é meu segundo bem mais precioso, adoro todos os tons de azul da Noite Estralada do Van Gogh e me perco na Livraria Cultura.


Todo mundo tem dois lados. 
O blog é apenas um desabafo de uma "patricinha" "com conteúdo".



De onde vem o nome do blog, Shakespeare de Batom?


Da junção inusitada de dois ícones (para mim não há maior!), Shakespeare da literatura e do teatro, e o batom, maior representação da vaidade feminina. Mas por outro lado, a junção desses dois elementos não é lá tão inusitada assim. Vamos rever, na época de Shakespeare, entro os séculos XVI e XVII, no teatro (ou como é conhecida a época, o teatro elisabetano) não era permitido empregar atrizes mulheres. Por isso, os papéis femininos eram interpretados por atores homens. Ou seja, misturar Shakespeare e batons não seria muito inusitado.

Sobre Shakespeare

Apesar da minha formação como atriz, é impossível eu escrever sobre Shakespeare. Então, para quem deseja saber mais sobre o poeta e dramaturgo inglês, aqui dicas de livros. 


Como Shakespeare se tornou Shakespeare, de Stephen Greenblatt, editora Companhia das Letras. As guerras de Shakespeare, de Ron Rosenbaum, editora Record.






Mas e o batom???
Existe muita controvérsia sobre a origem do batom, mas é sabido que as mulheres tem o costume de pintar os lábios desde o Egito. O simbolismo do batom, em especial os de tonalidade vermelha, é relacionado com a sexualidade feminina, afinal, lábios vermelhos são sinais de juventude e sexualidade aflorada. 
Aqui tem um post muito interessante sobre a história do batom, do blog Yesterface.


Para explicar o batom no nosso século, encontrei essa timeline no blog Ideia2.





Um comentário:

  1. Simplesmente amei!
    Parabéns!
    Beijos e sucesso!
    http://obscontinuidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário! Em breve, responderei. Ah, se você tem um blog, não esquece de deixar o endereço.