07 maio, 2014

Moda - MET Gala - A época da deselegância

Por Ana Clara Garmendia, jornalista e fotógrafa de moda 
Antes de tudo, vamos dar uma olhada nos tão comentados looks do baile anual do Metropolitan Museum of Art, o famoso MET Gala, em Nova York. 


"Elegance is not a social distinction but a sensual distinction", disse certa vez Charles James, estilista anglo-americano, consagrado por sua obra marcada por volumes nas roupas, e artista plástico escultor, um homem fortemente ligado à arquitetura. Em bom português: "Elegância não é uma distinção social, mas sim uma distinção sensual". A frase supostamente deveria incitar as pessoas a fazer da elegância no vestir, uma constante, independente de seu status social.
Ontem foi o dia de James receber uma grande homenagem em Nova York, onde morreu em 1978. A tradicional exposição anual do Met, organizada por Anna Wintour traz a obra do mestre. A festa, porém, mostrou a ferida que está bem aberta nesse momento. Vivemos a época da deselegância. Entre os trajes dos convidados, um verdadeiro festival de erros na mão de todos os criadores, alguns tentando inclusive homenagear James, sem sucesso. 








Os piores? Prada e Chanel. O melhor? Alguns do Zac Posen, um bom imitador de James. Na real? Os vestidos já não servem mais para os dias de hoje. Soam vulgares no corpo de quem os veste. Não existe a sensual distinção que Charles, o homenageado, tanto pregou. 


*Imagens reprodução Style.com 

**Ana Clara Garmendia é jornalista de moda e fotógrafa de streestyle, colaboradora da Vogue Brasil, entre outros veículos de moda. 

02 maio, 2014

Filme Yves Saint-Laurent

Essa semana assisti ao filme "Yves Saint-Laurent". Nem precisa dizer que me apaixonei pelo filme, né? Yves Saint-Laurent, pra mim, era mais do que estilista, pois seu trabalho ia muito além da moda. YSL era um artista verdadeiro e um dos meus preferidos. Não lembro se já comentei aqui no Shakespeare de Batom, mas só conheci Bruxelas por causa da exposição Yves Saint-Laurent Visionnaire, fui até lá só para ver de perto.
Voltando ao filme, o ponto que mais me impressionou foi a sensibilidade de todo o longa. Mais do que narrar fatos da história do estilista, o filme é sobretudo uma ode ao amor... pela arte, pelas pessoas. Acho que foi por isso que me emocionou tanto.

imagem do filme
O filme, dirigido pelo francês Jalil Lespert, conta a história do início da carreira de Yves Saint-Laurent, quando ele assume a direção criativa da Dior, até a criação de sua maison. Os melhores pontos do filme são também, para mim, os maiores de sua carreira, como a criação do Mondrian Dress (já falei sobre ele, aqui), por exemplo. Aliás, YSL sempre esteve em contato com a arte e esse é um aspecto muito forte no filme. Em um momento, o personagem questiona porque a moda não é considerada nobre como as artes plásticas e depois comenta que, para ele, criar suas roupas é também uma maneira de se expressar e continuar vivo, tanto quanto qualquer arte.
Uma coisa legal é que o filme teve apoio do próprio Pierre Bergé e muitos dos lugares que aparecem no filme são reais, como o ateliê do artista, por exemplo.

Yves Saint-Laurent em criação

O Victor Hugo Reis, também conta sua percepção do filme. Dá só uma olhada.

"Sinceramente, é um filme inquietante, sofrido (vi gente chorando, a Luiza Garmendia, principalmente!) e sexual. Isso porque o longa-metragem fetichiza o personagem e explora sua relação com Pierre. Não posso deixar de destacar a relação com a arte, que o Shakespeare de Batom tanto prega, presente no filme e no próprio cenário da moda mundial. Acredito que poucos estilistas são verdadeiros artistas como Yves Saint-Laurent foi."

Yves Saint-Laurent nu para anúncio de sua fragrância masculina em 1971

Para fechar o post, a melhor frase sobre moda de todos os tempos: 

“Nada é mais belo do que um corpo nu. A roupa mais bela que pode vestir uma mulher são os braços do homem que ela ama. Mas, para aquelas que não tiveram a sorte de encontrar esta felicidade, eu estou lá.”
Yves Saint-Laurent


*Luiza Garmendia foi a convite da assessoria de imprensa para assistir o filme "Yves Saint-Laurent" em sessão especial no Cinemark do Shopping Mueller, em Curitiba