22 julho, 2013

Desejo da Semana - Bolsa Livro

Na temporada em Paris, eu vi (e vivi) muitas coisas novas. Fotografando street style por lá descobri uma nova maneira de se relacionar com a moda. Acredito que a maneira como nós, brasileiras, encaramos a moda é um tanto diferente de como as européias, especialmente as francesas, o fazem. Elas aparecem com looks super produzidos, mas tem um ar de "nem me arrumei para sair". É uma relação fácil, sem esforços. Lembro da história de que uma amiga francesa uma vez saiu de casa vestindo apenas o casaco de pele, muita atenção, apenas. Por baixo, absolutamente nada.
Enfim, pensando na moda e nas histórias que vivi na capital francesa, um item virou meu desejo de consumo: a bolsa livro. Elas estão na moda há algum tempo desde que Natalie Portman usou uma na estréia de Cisne Negro.

imagem reprodução

Nas ruas de Paris, a moda continua. Captei essa imagem em março desse ano. O que mais gostei foi olhar para essa menina que carregava no braço uma história e pensar em qual seria a sua própria história. Não fotografei o rosto dela, acredita? Quem será essa menina que é uma estranha para mim e de repente eu me pego fotografando no meio da rua? O street style tem muito disso. Conhecer esses desconhecidos. São pessoas que literalmente caminham e passam por nós, mas deixam algo conosco. Nem que seja uma informação, uma inspiração de moda.

foto: Luiza Garmendia
Quem faz clutches desejo é a Olympia Le-Tan, inclusive inspirada em livros de verdade. Fiquei apaixonada pela bolsa do Dracula de Bram Stoker, que por sinal é minha história de amor preferida de todos os tempos.


imagens reprodução


E você, curte e usaria uma bolsa livro? Deixa sua opinião nos comentários aqui no blog!



19 julho, 2013

Inspiração de Sexta - Sofia Coppola e The Bling Ring

Se existe alguém no mundo que sintoniza a moda com a sua arte, esse alguém é a Sofia Coppola. Cineasta já de berço, seus filmes traduzem estilo e estética. Sou fã de Maria Antonieta e todo o seu visual detalhista. No mundo da moda, a Sofia é minha maior bolsa-desejo da Louis Vuitton, amo a versão em vermelho. Falando nisso, alguns dias atrás saiu a notícia de que a bolsa terá uma edição limitada com um detalhes em rosa. Olha só.


Sofia também estampa a capa da Vogue Australia e está lindíssima. Confere mais no link para ver o video do making of das suas fotos.


Aqui no Brasil, seu mais novo filme "The Bling Ring a Gangue de Hollywood" estréia dia 2 de agosto e conta a história real de um grupo de adolescentes que invadia e roubava casas de pessoas famosas, incluindo a socialite Paris Hilton. O maior objetivo da gangue era roubar peças de roupa, sapatos e jóias. Um reflexo da nossa sociedade consumista em que imagem é poder. Estou louca para assistir! Confere o trailler.



E você, curte o trabalho de Sofia Coppola? Curtiu o trailler do filme? Deixa sua opinião aqui nos comentários do blog!

16 julho, 2013

As ilustrações de Karl Lagerfeld sobre o Brasil

Todo mundo já sabe que eu estou sempre buscando a conexão entre arte e moda. Talvez seja por isso que adoro também o kaiser da moda, Karl Lagerfeld. Ele, além de comandar a maison Chanel, produz filmes, fotografa, escreve livros e até já ganhou seu próprio boneco. Enfim, dessa vez ele mandou muito bem. Em uma colaboração com a revista Seep, ele desenhou ícones brasileiros ao estilo do futebol. Carmen Miranda, Gisele Bundchen (é claro) e até a calçada de Copacabana foram seus escolhidos.





A melhor ilustração, para mim, é dele mesmo jogando futebol.




Bom preparativo para a Copa do Mundo, não? O que você acha? Deixa seu comentário aqui no blog!



15 julho, 2013

Dree Hemingway para Louis Vuitton

Semana passada comentei sobre a campanha de outono da Louis Vuitton, mas eu tinha esquecido de escrever aqui sobre as fotos de catálogo do pre-fall estrelado pela belíssima Dree Hemingway.


Por que amei tanto as fotos? Além de serem lindas e divertidas, a modelo em questão é tataraneta de Ernest Hemingway e Hadley Ricardson, sua primeira esposa. Minhas preferidas são a que Dree aparece dentro da bagagem e a que ela está em meio às folhas de papel no chão.

As fotos foram feitas em Paris, no Hotel Crillon. Aliás, Hemingway, o escritor, era conhecido por suas noitadas na cidade e hoje existe um roteiro para conhecer a Paris de Hemingway. Eu fui a poucos desses lugares, mas adoro o mais tradicional de todos, o Café de Flore em Saint Germaint. Sobre o Crillon? Hemingway dizia que quando tinha dinheiro ia para lá.


O fotógrafo Koto Bolofo é o responsável pelos cliques. Ele é super badalado e trabalha com imagens artísticas e extremamente sensíveis. No ano passado, suas fotografias foram expostas na queridinha loja Colette em Paris. Acho que essa imagem para a Louis Vuitton carrega muito da sensibilidade do artista.
imagens reprodução via Refinery 29
Comentei no blog sobre o livro "Casados com Paris" que li esse ano sobre a história de amor entre Hemingway e sua primeira esposa, os tataravós de Dree. Tinha muita curiosidade de ler sobre sua vida porque sempre gostei de sua literatura. O primeiro livro "de gente grande" que li na vida foi "O Velho e o Mar" e depois disso me encantei por sua obra. Hoje, meu preferido é "Paris é Uma Festa", em que, anos mais tarde, ele explorar através da ficção suas memórias sobre a época em Paris nos loucos anos 20. Encerro o post com um trecho de O Velho e o Mar, sobre o mar e as mulheres.

"Por que há pássaros tão delicados e finos como essas andorinhas, quando o oceano pode ser tão cruel? É gentil e muito belo. Mas sabe ser tão cruel, e sê-lo de tão súbito que tais pássaros que voam e mergulham à caça, com as suas vozinhas tristes, são demasiado delicados para o mar. [...] Sempre pensava no mar como "a mar", que é como o povo lhe chama em francês, quando o ama. Às vezes aqueles que gostam do mar dizem mal dele, mas sempre o dizem como se ele fosse mulher."



E você, curtiu as imagens de Dree Hemingway para Louis Vuitton? Já leu os livros de Ernest Hemingway? Conta aqui nos comentários do blog!

12 julho, 2013

Inspiração de Sexta - Quando você parou de se achar bonita?

Hoje o post da inspiração de sexta é relâmpago. Estive guardando esse video para fechar a semana com a mensagem de reflexão sobree autoestima. Essa semana, o video de Dove "When did you Stop Thinking you're beautiful" ou "Quando você parou de se achar bonita" correu a internet. Não posso deixar de compartilhar aqui no Shakespeare de Batom porque vai de encontro com a minha visão sobre beleza. Ele mostra mulheres escondendo seus rostos da câmera que as filma e depois crianças que, ao contrário, se mostram felizes e confiantes. O que será que acontece com as mulheres no meio do caminho entre um extremo e outro?



Quando assisti pela primeira vez, pensei que o video tratava de um assunto super passado. Ora, todo mundo já falou que é maravilhosa a beleza "fora do padrão" (aliás, qual seria o padrão mesmo?). E pensei: será que ainda precisamos falar mais? Sim. Precisamos. Olhei para mim mesma e percebi o quão difícil é escrever posts mais pessoais, falar sobre mim e, pior, postar uma foto minha aqui no blog. Mesmo no meu perfil pessoal do facebook quase não posto fotos minhas e quando faço fico me torturando olhando milhões de vezes procurando por alguma falha em mim. Se eu engordo dois quilos já paro de bater fotos. Isso que eu não me considero uma pessoa muito insegura ou tímida.

imagem reprodução

Então, pare uns minutos. Quando você deixou se achar bonita? Mesmo as mulheres mais lindas tem suas questões sobre autoestima. Aliás, por mais incrível que pareça, das mulheres que convivo, as mais bonitas são as que menos acreditam que são.

*Ah, a minha amiga Marcella Stelle do blog Mamãe de Salto consegue escrever sobre ela mesma e fez um ótimo post sobre o assunto também. Confere.

E você? Como anda a sua autoestima? Já deixou alguma vez de se achar bonita? Escreve aqui nos comentários do blog. 



11 julho, 2013

Campanha Louis Vuitton Outono 2013

Estou apaixonada pelas fotos da campanha de outono 2013 da Louis Vuitton. As modelos Gisele Bundchen, Isabeli Fontana, Karen Elson e Carolyn Murphy foram fotografadas por Steven Meisel (o mesmo da campanha da Prada) e aparecem em um ambiente de quarto de hotel inspirado na elegância dos anos 30. Há quem critique a postura da marca em juntar tantas modelos famosas para uma única campanha, alguns acham sem propósito. Independente disso, gosto da campanha.


Gosto muito do olhar de cada uma delas, super misteriosos. Aliás, esse clima é enfatizado pelas as luzes e sombras escuras. Gosto do detalhe da camareira no espelho e da luz que emana dele.


O clima bourdoir da campanha é o mesmo do último desfile de preêt-à-porter da marca em Paris em março desse ano. O mesmo padrão da parede nas fotos foi utilizado no desfile, os cabelos são os mesmos, os looks lingerie também, tudo igual. Acho que é por isso que eu adorei a campanha. Esse foi o primeiro desfile Louis Vuitton em que compareci. Foi tudo tão mágico. Momento tiete: acho que vocês já perceberam que sou doida pelo Marc Jacobs, né? Então, poder estar lá pessoalmente foi incrível!
fotos campanha: reprodução
Contando um pouco mais sobre o desfile, o cenário era um hotel. Em formato circular, a passarela contava com 50 portas do imaginário hotel. De cada uma delas, saia uma mulher que deixava a porta de seu quarto aberta revelando um pouco da sua intimidade. Em cada um desses quartos, havia uma projeção em preto e branco de um filme. Cada filme mostrava o que acontecia ali dentro e a história de cada mulher. Em um havia um homem esperando, em outro uma mulher que se arrumava, em outro não havia ninguém. Ah, eu estava tão enlouquecida no desfile que só consegui tirar duas fotos! Isso sem contar que eu pirei de vez quando Marc Jacobs saiu de pijama bem na porta que estava na minha frente.

fotos: Luiza Garmendia
Essa ideia de espiar um pouco da intimidade dos outros me lembrou vários filmes. Desde o De Olhos Bem Fechados, de Stanley Kubrick, pelo tom sensual e misterioso, até o mais óbvio Janela Indiscreta, de Hitchcock. Pensei em cada uma dessas mulheres e suas vidas privadas; o que será que cada uma tem a esconder? A revelar?
Por aqui, confere o video para lembrar do desfile.




E você, o que acha da campanha da Louis Vuitton? Deixa sua opinião nos comentários do blog!



10 julho, 2013

W Crystal - Transformação - Cabelos

Já faz um tempo que inaugurou em Curitiba o W Crystal, o salão de beleza do hairstylist Wanderley Nunes. Eu viajei bastante, então só fui conhecer essa semana. De cara, já fiquei enlouquecida com a parede de esmaltes e com a fotografia do Bono Vox cortando o cabelo do Wanderley.


imagem Alessandra Okasaki



E para minha surpresa, chegando lá passei por uma transformação! Meu cabelo precisava muito. Antes de mostrar como estava meu cabelo antes, vou logo mostrando o "depois" porque é mais bonito.


Deixa eu ter um "momento desabafo": não vou comentar o nome do outro salão, mas semana retrasada resolvi refazer minhas mechas ombré e deu tudo errado. Além de ficar manchado, meu cabelo ficou... verde! Imagina o meu desespero. Eles até tentaram resolver o problema. No final, fiquei com o cabelo laranja, afinal é melhor do que verde, não é? Agora sim eu mostro "antes".


Para "consertar" minhas madeixas, fui atendida pelo Fernando Young e seus assistentes Rosangela e Gerson. O Fernando fez um processo de correção de cor, além de trabalhar para "apagar" o marcado entre claro e escuro, para enfim formar o degradê das mechas ombré. Aliás, um tempo atrás muita gente discutiu sobre o fim do ombré hair. Enquanto uma revista decretava sua extinção, outra afirmava que era tendência. Atualmente, é unanimidade que os cabelos ombré ou as mechas californianas continuam por mais tempo.



Eles me surpreenderam muito. Já imaginava que seria tudo de bom, mas não tinha ideia de como eu ficaria feliz com o resultado. Pela primeira vez na minha vida eu fiz coloração, incluindo descoloração, e meu cabelo ficou mais hidratado do que estava antes. Juro, nunca tinha visto isso. Também adorei a técnica que o Fernando usou para secar e cachear o cabelo ao mesmo tempo. Até fiz um video no instagram para mostrar. A escova foi super rápida! Olha só como ficou.


Enquanto fazia o cabelo, fiquei refletindo sobre a palavra transformação.  Não digo mudar. Mudar é trocar uma coisa pela outra. Transformar é lidar com o que se tem e fazer disso uma coisa nova. Conversando com o Fernando, ele me disse uma coisa bonita quando perguntei o que era beleza para ele:

"A beleza na minha profissão está ligada com sentimento. É sentir que ajudei a aumentar a autoestima da minha cliente, que ela sai daqui mais alegre". 

E a beleza tem esse poder de transformação. Ela é tão fundamental que, segundo o livro The Tipping Point, de Malcolm Gladwell, a restauração dos metrôs que estavam pichados em Nova York teve um papel fundamental para o declínio da violência na cidade porque então as pessoas começaram a se importar mais e, consequentemente, cuidar da cidade. O autor menciona inclusive a teoria das janelas quebradas, que afirma que se uma janela é quebrada e ninguém a conserta, as pessoas ao redor tendem a não se importar, gerando caos e ordem. Sendo assim, o processo contrário, ou seja, o reparo, promoveria ordem.
Voltando para a estética e a moda, eu logo continuo o raciocínio e acredito que a beleza influencia no sentimento de valorização. Não falo de beleza vazia, fútil, egoísta, estereotipada de página de revista. Falo de valorizar o que temos de bonito em nós. Em descobrir o belo em nós mesmos e nos sentirmos bem por isso.


No Instagram:



Eu amei a transformação. Aliás, gostei tanto de todo mundo do W Crystal que vem novidade no blog na semana que vem.

E você, curtiu minha transformação? Já passou por uma repaginada nos cabelos? Deixa seu comentário aqui no blog.



*Visita a convite da assessoria de comunicação. Política do Shakespeare de Batom: não produzo posts pagos. Por causa do blog e da empresa em que trabalho, recebo muitos produtos e freqüento eventos. Todos os textos e fotos, exceto quando sinalizados, são de autoria própria e refletem a opinião pessoal de sua autora.

09 julho, 2013

Moda - Street Style Paris

Esse ano me encantei com a fotografia de street style. Descobri minha própria versão fotógrafa de moda meio sem querer nas ruas de Paris. Quando percebi, estava ali bem no centro do burburinho simplesmente fotografando. Dessa vez, na semana de moda de haute couture, não pude estar na cidade, mas claro a Ana Clara Garmendia estava lá fotografando para a Vogue Brasil e não perdeu nenhum look. Hoje, eu e ela selecionamos nossas imagens preferidas dessa semana em Paris.
O mais legal das ruas é que vale tudo.  Nas ruas, o ousado colorido do laranja e o clássico preto e branco andam lado a lado. Um sem anular o outro. Ninguém precisa escolher entre uma vertente ou outra. Um dia diferente do outro.



Uma coisa legal que se aprende com as mulheres europeias é descomplicar. Vai deixar de ir naquele evento importante só porque não fez escova no cabelo? Nem pensar! Elas ensinam a ser simples e elegante. Olha o que um mero "penteado torcidinho" faz por uma produção. Mesmo a Olivia Palermo (na foto acima) está arrumada, mas despretensiosa. Segundo a Ana, nesse dia chovia e todo mundo teve que se virar para (tentar) controlar os fios rebeldes.


Outra coisa que me chamou atenção na moda das ruas são as estampas e texturas de tecidos. Adoro os desenhos com formas geométricas pequenas. Na segunda foto, mais uma vez a Miroslava Duma mostra como usar as cores. Além disso, ela aparece com a saia estilo wrap (envelopada), tendência que o Brasil já adotou.



E para finalizar, Ana Clara tem uma palavra: jeans! Em tudo. Na calça, na jaqueta, na camisa. Amo essa fotografia. Amo as cores. 



E você, gostou da nossa seleção de street Style? Deixa sua opinião nos comentários do blog!


08 julho, 2013

Conheça Linder Sterling - Exposição Femme Object

Lembram que eu fiz dois posts sobre exposições de moda com o trabalho de Yves Saint Laurent e Jean Paul Gaultier? Hoje vou mostrar aqui no blog uma outra exposição que vi em viagem esse ano no MaM (Museé d'Art Moderne) de Paris: Linder Sterling Femme Object. Lá já está encerrada, mas até agosto você pode conferir a expo em Hanover na Alemanha. Para quem vai para esses lados, a dica é incluir no seu roteiro de viagem


Entrei na expo sem saber ao certo quem era a artista britânica, então conhecer seu trabalho foi uma surpresa e tanto! Gosto muito quando acabo sem querer conhecendo algo que me surpreende e encanta. Seu trabalho é todo baseado nas colagens e pude conhecer toda a retrospectiva da carreira de Linder desde o início no movimento punk

Gostei bastante de sua série de imagens de revistas pornográficas com colagens de objetos do dia a dia, como comidas. Vale lembrar que a posição da artista é feminista e ela procura abordar de maneira crítica a comoditização do corpo feminino, bem como joga com as convenções sociais de gênero (feminino e masculino). 

Gostei muito também da sua série de auto-retratos fotográficos em que brinca, através das colagens, com suas expressões faciais e com a construção de sua própria identidade. Ah, era permitido fotografar a exposição, então aproveitei para fazer várias imagens para ilustrar aqui no blog. 

E você, gostou da arte de Linder Sterling? Deixa sua opinião nos comentários do blog.

06 julho, 2013

Moda - Assista novo filme da Prada

Amo filme de moda! Vocês já viram o novo da Prada para a campanha de inverno 2013? Gente, eu adorei! Não sei se já falei aqui no blog, mas eu sou atriz! Então, me identifiquei bastante com o filme. Dirigido por DJA e com fotografia de Steven Meisel, o video mostra modelos, incluindo a lindíssima Freja Beha, simulando testes de elenco para o papel da próxima estrela da Prada. Assista porque é demais! 


O video tem um clima bem misterioso embalado pela música "Shallow Then Halo" da banda escocesa Cocteau Twins. Reparem também na iluminação maravilhosa com a luz "recortada" fazendo contraste entre claro e escuro. Fotografia mais do que perfeita.


Ah, a descrição oficial do video é assim (perdoem, eu mesma traduzi): 

"E ação! Sob o brilho dos holofotes e o olhar atento do diretor de elenco, nove jovens atrizes esperançosas tomam o centro do palco e se preparam para seus close-ups. O caçador e a caça, observando um ao outro como bestas selvagens. Um a um, eles são selecionados e deixados de lado como slides em um carrossel que gira eternamente. Uma dança entre a realidade e a ficção, essas mulheres não são o que você pensa que elas são..."

imagem reprodução via 
Adorei pensar nessa relação entre caçador e caça. Isso dialoga bastante com o processo da indústria da moda que por si só é um carrossel de giro eterno em que uns sobem, outros descem, e tudo muda o tempo inteiro invertendo papéis constantemente. O que era desejo hoje é o lixo de amanhã. Super batido, mas sempre válido para reflexão. Acho legal também pensar em como essas mulheres, no filme, estão se sujeitando a posição de serem observadas e julgadas, se colocam no papel da caça. Pensa na última frase "elas não são o que você pensa que elas são". 

E você, curtiu o filme da Prada? Deixa sua opinião aqui nos comentários do blog!